Tools


Siemens Worldwide

Siemens Global Weblogs

Language

 

Contact

Conexão Siemens

Entries » Blog » O primeiro fogo no Egito

O primeiro fogo no Egito

Em 18 meses, 4.8 GW de energia foram conectados à rede do Egito. Enquanto entrega, o número corresponde a um recorde mundial em velocidade de execução de grandes projetos.  Enquanto cidadania, serão 15 milhões de egípcios que agora receberão energia elétrica e novas oportunidades. 

 

Há mais de 115 anos a Siemens atua no Egito. E colaborar com uma nação que viu o nascimento das grandes pirâmides é uma responsabilidade única. A companhia é testemunha do progresso de um país com enorme potencial e que hoje vê a escrita de um novo capítulo. O “Megaprojeto do Egito” irá girar a chave da mudança. Serão mais empregos, oportunidades de negócio e, consequentemente, prosperidade para o povo.

O projeto, audacioso em execução, ganhou status de “estado da arte” em tecnologias de geração de energia. Não seria por menos, já que o ativo conta com três usinas de ciclo combinado, com 4.8 GW de capacidade cada, além de 12 parques eólicos que contabilizam cerca de 600 turbinas.

 

“O povo do Egito pode contar com a Siemens”

A declaração de Joe Kaeser, presidente da empresa alemã, não poderia estar mais alinhada com as metas do trabalho feito. O comprometimento social abrange mais de 5 mil cidadãos com acesso a um programa de treinamento ocupacional, além da capacitação avançada de 600 engenheiros e técnicos. Estes profissionais poderão usar seu conhecimento para operar as unidades entregues e, futuramente, dividir sua experiência com as seguintes gerações. 

Entregar as usinas é um primeiro passo para um acordo de longo prazo. Acordo este, que proverá serviços e manutenção para assegurar a alta performance e eficiência esperados das centrais de energia.

 

Potencializando a geração total do país com responsabilidade

O megaprojeto irá impulsionar a geração de energia egípcia em cerca de 50%. São três usinas de energia combinadas e alimentadas por turbinas de gás natural e de vapor. A combinação entre os dois formatos de turbinas faz com que o calor dissipado no uso do gás seja reutilizado na operação do vapor. Isto diminui as emissões de CO2 e otimiza custos.

A capacidade de energia do país é outro fator que atrai os olhos da companhia. E um estudo, com entrega programada para o ano de 2025, apresentará uma expectativa deste cenário.

 

 

O poder de uma promessa

Uma turbina de gás é instalada em uma planta de energia, os motores se movem e a queima de gás acontece no combustor. Esta primeira produção recebe o nome de “primeiro fogo”. No dia 2 de março, executivos da Siemens se juntaram a autoridades locais para celebrar o momento simbólico deste primeiro fogo. Foram apenas 18 meses entre a assinatura do contrato da obra e a conexão dos primeiros 4.8 GW de energia à rede do país. Assim que finalizadas, as três turbinas estarão aptas a gerar uma capacidade combinada de 14.4 GW.

De agora em diante, a comunidade desfrutará de energia confiável, que levará empoderamento, sonhos e realização ao Oriente Médio e, por que não dizer, ao mundo.

 

 Please login to comment